Internacional

Caos, fronteiras fechadas e falta de testes nos EUA

“Isto é a alfândega no aeroporto de Dallas. Atual tempo de espera, mais de três horas. Tosse e espirros...”, lê-se num dos muitos posts no Twitter sobre o assunto

Foi o caos nos aeroportos dos EUA este fim de semana, após o discurso do Presidente Donald Trump, que anunciou a proibição dos voos vindos da União Europeia, mas esqueceu-se de mencionar que os cidadãos norte-americanos estavam insentos: houve uma corrida aos bilhetes, ao mesmo tempo que todo o tráfego era direcionado para uns poucos aeroportos designados, onde são feitos controlos do novo coronavírus.

“Isto é a alfândega no aeroporto de Dallas. Atual tempo de espera, mais de três horas. Tosse e espirros...”, lê-se num dos muitos posts no Twitter sobre o assunto, onde se vêm fotos de filas gigantescas. Há semanas que a Administração Trump é acusada de inação perante o surto de Covid-19 - boa parte da prevenção teve de ser levadas a cabo pelas autoridades estaduais.

Os país está muito atrás do espectável a nível de testes ao novo coronavírus - até este fim de semana foram feitos menos de 14 mil, avançou o Atlantic - e o próprio Presidente tardou em fazer o teste, após estar em contacto com um assessor infetado, da comitiva do Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro. “Não estou preocupado”, disse Trump na quinta-feira, admitindo na sexta-feira que “provavelmente” faria o teste, cujo resultado negativo só saiu no domingo.