Economia

Caso de funcionária da Portway com Covid-19 vai afetar voos no Porto

O caso da funcionária da Portway infetada por Covid-19 obrigou parte da equipa da empresa de handling que opera no Aeroporto Francisco Sá Carneiro a ficar de quarentena. A situação vai afetar a realização dos voos agendados atualmente.

A Portway anunciou em comunicado a necessidade de “fazer ajustamentos à operação” depois de uma funcionária que trabalhava no Aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto, ter sido infetada com Covid-19. A empresa de handling – que presta serviços de assistência em terra às aeronaves, passageiros e bagagens – anunciou que todas as pessoas que estiveram em contacto com a trabalhadora infetada encontram-se “em quarentena obrigatória” e já foram “rastreadas pela empresa e autoridades de saúde”, aguardando-se agora os resultados dos testes.

Esta situação vai obrigar a Portway a “reajustar ou reagendar operações”. A empresa adianta que as companhias aéreas suas clientes já foram avisadas que estas alterações “não vão permitir realizar todos os voos de acordo com a programação existente atualmente”.

A empresa pede que todos “os passageiros que vierem a ser afetados por esta medida devem contactar as respetivas companhias aéreas para se informarem das medidas alternativas que serão tomadas por cada companhia aérea”. A Portway apela ainda “para que os passageiros não se desloquem ao aeroporto para obter essas informações”, mas via telefone ou por canais alternativos.