Vida

Rodrigo Guedes de Carvalho responde a críticas: "Meia Internet escolheu-me para andar à pancada"

"Reforço apenas que o jornalismo que estudei e que trago na consciência não se adequa, de facto, a modelos de robô ou papagaio", afirma o jornalista.

O jornalista Rodrigo Guedes de Carvalho tem sido uma das figuras mais faladas desde que a epidemia da covid-19 surgiu em Portugal. Além de noticiar o que se passa no país, que vive uma situação nunca antes vista, o jornalista apela aos portugueses para cumprirem as normas da DGS e ficarem em casa, entre outros conselhos.

Por um lado, Rodrigo Guedes de Carvalho tem sido muito elogiado nas redes sociais mas por outro lado tem recebido diversas críticas pela sua atitude durante o jornal da noite da SIC e acusado de procurar popularidade.

O jornalista decidiu então fazer uma publicação onde acusa as pessoas de o terem escolhido “para andar à pancada na internet”, devido à falta de atividades para fazer e sublinha que não procura protagonismo.

“Isto não é sobre mim” começa por dizer. “Com o futebol parado e os partidos calados, meia Internet escolheu-me para andar à pancada. Os que estão muito irritados comigo acusam-me, no essencial, de querer protagonismo", pode ler-se na publicação. "Repito: eu, que estou à frente de uma câmara a ritmo diário há mais de 30 anos, quero... protagonismo. Não sei que responda a isto", lamenta.

"Depois, sou acusado de 'dar conselhos', e não tenho nada que os dar, tenho é de 'ler as notícias'. Não vou responder letra por letra, porque demoraria e, sobretudo, não é tempo disso. Reforço apenas que o jornalismo que estudei e que trago na consciência não se adequa, de facto, a modelos de robô ou papagaio. Defendo que o jornalismo pode e deve, quando se aproxima da nossa aldeia um cão perigoso, colocar um aviso", afirma, numa publicação cuja fotografia é uma imagem a alertar: Cuidado com o cão. "Se calhar estou fora de moda. Por esta altura, quero só pensar em ir trabalhar todos os dias, com saudades dos meus filhos com quem combinei não me visitarem. Farei o meu papel. Não percam tempo comigo, isto não é sobre mim. É sobre a transformação da nossa vida. Quem não percebe isto, não percebe nada", conclui.