Economia

Sotagus diz que trabalhadores não estão a cumprir requisição civil

Dos 29 trabalhadores, apenas 5 se apresentaram ao serviço esta manhã.

Os estivadores não estão a cumprir a requisição civil. O alerta é da Sotagus – Terminal de Contentores de Santa Apolónia, que garante já ter informado as autoridades “que a maioria dos trabalhadores do quadro se encontram a incumprir o estado de emergência”.

O operador portuário do Porto de Lisboa para a movimentação de cargas diz que dos 29 trabalhadores escalados para trabalhar na manhã desta quinta-feira apenas cinco se apresentaram ao serviço, “o que não permite ter sequer uma equipa mínima para trabalhar os navios”.

A Sotagus responsabiliza o Sindicato dos Estivadores de Lisboa (SEAL) “por numa situação mundial de pandemia comprometer o abastecimento das Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira, inviabilizando que entre outros, alimentos e material médico cheguem aqueles Portugueses”.

Na nota, a Sotagus recorda que o estado de emergência em vigor desde a meia-noite desta quinta-feira determina a suspensão da greve, sendo a manutenção por parte do SEAL “ilegal”.

Segundo o operador portuário, “todos os demais portos nacionais se encontram a trabalhar com toda a normalidade, excepto o Porto de Lisboa”.