Politica

André Ventura: "É fácil dizer encerrem-se os espaços. Quem vai pagar salários? É isso que um primeiro-ministro deveria dizer"

Ventura criticou a postura de António Costa esta quinta-feira e diz que as medidas tomadas pelo Governo são insuficientes.

André Ventura enviou um vídeo ao SOL, a reagir às medidas implementas pelo Governo durante o estado de emergência. O deputado sublinha que o Chega foi o primeiro partido a pedir o estado de emergência e aponta que as medidas anunciadas pelo PM foram tomadas de “forma tardia”. 

"Pessoas em vigilância ativa ou infetadas deviam ter ficado em isolamento obrigatório há muito mais tempo e o fecho de fronteiras deveria ter sido obrigatoriamente feito logo que se demonstrou que este vírus não conhecia fronteiras e um dos mais perigosos no que toca a disseminação", afirma o deputado único do Chega.

"Continuamos a receber voos de países da UE onde a incidência do vírus é elevadíssima dando o exemplo da Holanda e de Inglaterra, sem controlo algum nos aeroportos. É uma espécie de controlar Portugal quando não controlamos a entrada em Portugal e isso ninguém consegue compreender", continua.

"O Chega vai continuar a exigir mais medidas para ajudar os portugueses", garante o deputado. Além de considerar que as medidas foram tomadas tarde, Ventura afirma que António Costa não esclarece suficientemente as medidas que vão apoiar famílias e empresas nesta altura.

“As pessoas querem saber como vão resolver as suas vidas. É fácil dizer encerrem-se os espaços, confinem-se as famílias. Quem vai pagar salários? Como se vão pagar as contas? As rendas? É isso que as pessoas querem saber. E é isso que um primeiro-ministro, chefe de governo deveria dizer", acusa André Ventura. O deputado único do Chega menciona ainda o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que acusa de ter estado "em fuga durante este tempo".