Economia

TAP não renova contrato a prazo com 100 colaboradores

Ainda esta quinta-feita, a TAP anunciou que vai reduzir temporariamente a sua operação, “uma decisão que é tomada após os sucessivos anúncios de restrições".

A TAP decidiu não renovar o contrato a prazo com 100 trabalhadores, que já foram notificados, uma medida do plano de contingência implementado pela companhia no âmbito do surto de covid-19.

A transportadora realçou ainda que, quando precisar novamente de mais funcionários e tiver condições para reforçar a equipa, estas 100 pessoas serão as primeiras a ser chamadas. 

Fonte oficial da TAP esclareceu que não se trata de despedir 100 pessoas, mas sim de não fazer novas contratações, ao abrigo do plano de contingência apresentado em 05 de março, visto que, quando um contrato a prazo termina, renová-lo é uma nova contratação, disse à Lusa. 

Ainda esta quinta-feita, a TAP anunciou que vai reduzir temporariamente a sua operação, “uma decisão que é tomada após os sucessivos anúncios de restrições, como principal medida de contenção da covid-19, por parte de vários estados das geografias em que a companhia portuguesa opera”, explicou a transportadora, através de comunicado.

A empresa sublinhou ainda que a estes fatores se soma uma “acentuada queda da procura”, o que tem “gerado inúmeros e sucessivos cancelamentos de voos e suspensões de rotas, que têm vindo a ser comunicados pela TAP aos passageiros e público em geral”.

Um cenário que se agravou nas últimas 24 horas, adiantou ainda a companhia aérea, explicando assim a redução de “forma expressiva” da operação, além de ir também “parquear grande parte da sua frota de aviões”.