Economia

Jerónimo Martins com lucros de 433 milhões em 2019

Lucros cresceram 7,9% face a 2018. Para estes resultados contribuiu decisivamente a performance no mercado polaco, onde o grupo detém as marcas Biedronka, loja de produtos alimentares, e a Hebe, cadeia que atua no setor da saúde.

O Grupo Jerónimo Martins apresentou lucros de 433 milhões de euros no fecho das suas contas referentes a 2019. Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a empresa liderada por Pedro Soares dos Santos obteve um crescimento de 7,9% dos lucros em relação ao ano anterior.

Para estes resultados contribuiu decisivamente a performance no mercado polaco, onde o Grupo Jerónimo Martins detém as marcas Biedronka, loja de produtos alimentares, e a Hebe, cadeia que atua no setor da saúde. O total de vendas da empresa no ano transato atingiu os 18 638 milhões de euros, mais 7,5% face aos 17 337 milhões conseguidos em 2018. Feitas as contas, a polaca Biedronka contribuiu com 12 621 milhões de euros deste valor, o que representa 67,7% do total das vendas do grupo. O Pingo Doce – marca mais representativa do Grupo Jerónimo Martins em Portugal somou 3 945 milhões de euros, o que representa 22,1% do total de vendas.

Seguindo o bom desempenho das vendas, o EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) do Grupo ~Jerónimo Martins cifrou-se em 1045 milhões de euros, um crescimento de 8,9% em relação ao ano anterior. A respetiva margem foi de 5,6% (5,5% em 2018).

O balanço do grupo manteve-se sólido, encerrando o ano com uma posição líquida de caixa positiva de 192 milhões de euros, contra a dívida de 80 milhões de euros que se verificava no final de 2018. No relatório e contas apresentado na CMVM, a Jerónimo Martins refere que em maio de 2019, “em linha com a política de dividendos do Grupo, foram pagos dividendos no valor de 204,2 milhões de euros”.