Internacional

Lentes de contacto aumentam risco de infeção

O aviso é do presidente da Sociedade Italiana de Oftalmologia, que aconselha ao uso de óculos como alternativa sempre que possível durante a pandemia.

A Sociedade Italiana de Oftalmologia alertou para os possíveis riscos associados ao uso de lentes de contacto durante a pandemia do novo coronavírus. Devem ser “utilizadas o menos possível”. A serem utilizadas, a preferência deve ser pelas descartáveis. Mas o melhor mesmo é utilizar óculos.

O risco não está apenas relacionado com o manuseamento das lentes com as mãos. Segundo o presidente da associação, Matteo Piovella, citado pelo jornal italiano La Stampa, o material de que são feitas - silicone - permite que o vírus sobreviva alojado nas lentes de contacto por cinco dias. E os olhos são um dos pontos para a entrada do vírus no organismo.

O oftalmologista cita um artigo publicado no “Journal of Hospital Infection” já no início de fevereiro dedicado ao tempo de sobrevivência do vírus em materiais sintéticos. No silicone, segundo esse artigo científico, o vírus que dá origem à covid-19 permanece ativo por uma média de cinco dias.

"Quem tiver a oportunidade de corrigir seu defeito visual com um simples par de óculos, faça-o imediatamente", alerta Piovella. "Dessa forma, reduzirá o risco de contaminação”. Nos casos em que não for possível, as lentes de contacto são uma opção mais segura do que as reutilizáveis porque, explica, “o descartável tem a vantagem de ter uma lente nova todos os dias”, que “não precisa ser esterilizada durante a noite para voltar a ser usada no dia seguinte”.