Internacional

OMS alerta: "A pandemia está a acelerar"

Novo coronavírus já provocou a morte de mais de 15 mil pessoas no mundo inteiro e já foram registados quase 360 mil casos de infeção.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) alertou, esta segunda-feira, para o aceleramento da pandemia de covid-19. Em conferência de imprensa, o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, declarou que “a pandemia está a acelerar”, depois já terem sido confirmados mais de 300 mil casos de infeção em todo o mundo.

"Mais de 300 mil casos de covid-19 foram até agora reportados à OMS, de quase todos os países do mundo (...) Levámos 67 dias para chegarmos do primeiro caso registado aos primeiros 100 mil casos, 11 dias para chegarmos aos segundos 100 mil casos e apenas quatro dias para os terceiros 100 mil casos", realçou o responsável, relembrando que estes números têm importância e são o espelho das "pessoas, cujas vidas e famílias ficaram viradas do avesso".

O diretor-geral da OMS disse ainda que "não somos prisioneiros das estatísticas. Não somos espetadores impotentes” e, por isso, “podemos mudar a trajetória da pandemia de covid-19". A estratégia? Tedros Ghebreyesus exemplificou com o futebol.

"Não se pode ganhar um jogo de futebol defendendo apenas. Também temos de atacar. Pedir às pessoas para ficarem em casa e apelar a outras medidas de distanciamento social é importante para travar a propagação do coronavírus e ganhar tempo, mas são medidas defensivas", disse.

"Para ganhar, precisamos de atacar o coronavírus com táticas agressivas e precisas - testando todos os casos suspeitos de covid-19, isolando e tratando de cada caso confirmado, e encontrando e colocando em quarentena todos os contactos próximos", defendeu.

O responsável fez ainda dois avisos: o primeiro sobre a importância de proteger os profissionais de saúde e o segundo sobre o cuidado a ter com o uso de “drogas não testadas” para tratar pacientes e testes de laboratório que podem não estar a ser conduzidos de forma apropriada. "Sem provas concretas podem criar uma falsa esperança e fazer mais mal do que bem", disse.

Recorde-se que o novo coronavírus já provocou a morte de mais de 15 mil pessoas no mundo inteiro e já foram registados quase 360 mil casos de infeção. Em Portugal há 23 vítimas mortais e 2060 casos de infeção confirmados.