Sociedade

Grávidas assustadas ponderam fazer parto em casa

Associação pelos Direitos das Mulheres na Gravidez e Parto (APDMGP) tem recebido vários pedidos de ajuda.

As grávidas, um dos grupos de risco em relação ao novo coronavírus, têm vindo a mostrar-se assustadas com aquilo que podem encontrar nos hospitais, devido à covid-19, para a realização do parto.

A Associação pelos Direitos das Mulheres na Gravidez e Parto (APDMGP) tem recebido vários pedidos de ajuda por parte das grávidas, sendo que algumas das quais já pensam em fazer o parto na residência onde habitam.

"Há pessoas que estão assustadas com a ideia de irem para o hospital e tendo tido uma gravidez sem problemas começam a ponderar alternativas como, por exemplo, procurar uma parteira independente que possa dar-lhes assistência ao parto em casa para evitarem ir ao hospital", disse, à Lusa, Mário Santos, elemento da direção da APDMGP.

Uma petição foi criada para o auxílio às grávidas e conta já com cerca de 6400 assinaturas, devido ao facto de, por prevenção à covid-19, estar a impedir-se a presença de um acompanhante durante o trabalho de parto.

"Isso por um lado, pareceu-nos muito radical, mas por outro lado, e também ouvindo alguns profissionais, percebemos que na verdade nós não sabemos muito bem como lidar com esta situação", disse Mário Santos.