Internacional

Traficantes preocupados com a covid-19 impõem recolher

Nas favelas da zona oeste do Rio de Janeiro, os moradores foram avisados por grupos criminosos que quem sair de casa depois das 20h "vai aprender a respeitar o próximo".

Traficantes de droga e milicianos, preocupados com a pandemia de covid-19, impuseram o recolher obrigatório nas favelas de Rio das Pedras, Muzema e Tijuquinha, na zona oeste do Rio de Janeiro, avançou a G1. As autoridades já decretaram o isolamento da cidade e diminuíram os transportes públicos, para tentar conter a pandemia, mas estes grupos criminosos ameaçaram todos os que saíam à rua após as 20h, através das redes sociais.


“Quem for visto na rua após este horário vai aprender a respeitar o próximo”, lia-se numa das mensagens endereçadas a moradores. “Se o governo não tem capacidade de dar um jeito, o crime organizado resolve", prometiam.


Desde o início da pandemia que o Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, tem sido amplamente criticado por menorizar os perigos da situação. Apenas 35% dos brasileiros concordam com as medidas do Presidente quanto à covid-19, uma percentagem mais baixa que a aprovação média dos governadores, segundo uma sondagem desta semana da Datafolha. Bolsonaro tem sistematicamente minimizado a pandemia, que entretanto infetou mais de 2 mil pessoas no Brasil e fez 34 mortos.