Economia

Lucros da REN sobem 2,8% para 118,9 milhões de euros

Empresa explica que melhoria dos resultados financeiros e operação no Chile contribuíram para crescimento dos lucros.

A REN terminou o ano de 2019 com o lucro a subir para os 118,9 milhões de euros, valor que representa um crescimento de 2,8% face ao ano anterior. Já o resultado líquido recorrente atingiu os 144,8 milhões de euros, um crescimento de 5,5%.

A empresa liderada por Rodrigo Costa explica que para estes resultados contribuíram a melhoria dos resultados financeiros e uma contribuição positiva da operação no Chile.

O custo médio, informa a REN, mantém a produção iniciada em 2013: em 2019 ficou nos 2,1% em comparação com os 2,2% de 2018. “Apesar deste cenário favorável, o pagamento da CESE continua a ter um importante impacto nos resultados da REN, tendo a taxa efetiva de imposto subido para 40%”, explica a empresa em comunicado.

Já a dívida líquida registou um aumento de 6,5% para 2.826 milhões de euros devido à aquisição da Transemel em outubro.

O EBITDA foi de 486,2 milhões de euros, o que representa uma redução de 1,2% (6 milhões), “resultante de uma mais baixa remuneração do RAB (baixou 11,4 M€), decorrente da redução das taxas de juro das Obrigações de Tesouro e da Base de Ativos Regulada. Estes valores foram parcialmente compensados pela melhoria dos resultados da Electrogas e pela consolidação da Transemel”.

O CAPEX e as transferências para exploração aumentaram 66,6 e 102,2 milhões de euros para 188,6 e 190,6 milhões de euros, respetivamente. Já o sector da eletricidade representou 74,7% e 79,6% do total, respetivamente.

A REN explica ainda que “2019 ficou marcado pela aquisição da chilena Transemel, que se juntou ao investimento feito em 2017 em 42,5% da Electrogas”.

Face aos resultados do ano passado, o Conselho de Administração da REN vai propor na Assembleia Geral de Acionistas, que vai decorrer a 7 de Maio, o pagamento de um dividendo de 17,1 cêntimos por ação.