Sociedade

AEP e Ordem dos Médicos apresentam projeto para hospital de campanha

A unidade hospitalar já foi apresentada ao Governo. Seria “único [hospital] no país por permitir acomodar enfermarias de pressão negativa, adequadas ao tratamento de infetados com a covid-19”, referem as entidades em comunicado.

A Associação Empresarial de Portugal (AEP) e a Ordem dos Médicos apresentaram ao Ministério da Saúde um projeto para a construção de um hospital de campanha para fazer face à pandemia do novo coronavírus. O hospital (designado hospital SOS-Coronavírus AEP/OM) seria “o único no país por permitir acomodar enfermarias de pressão negativa, adequadas ao tratamento de infetados com a covid-19”.

Em comunicado, as entidades referem que o protocolo celebrado entre a AEP e a Ordem dos Médicos, no âmbito projeto “SOS - Coronavírus”, tem como um dos objetivos identificar necessidades e avaliar as prioridades na aplicação dos recursos financeiros, infraestruturais, materiais e humanos que o projeto necessite. O projeto para o hospital de campanha, da autoria do arquiteto Ricardo Oliveira, do gabinete RSO, pretende “dar resposta aos desafios que a sociedade portuguesa enfrenta”.

Para o presidente da AEP, Luís Miguel Ribeiro, “a grave situação que Portugal está a viver fez com que a AEP celebrasse um protocolo com a Ordem dos Médicos, no sentido de identificar os recursos necessários para minorar os impactos causados pela pandemia do novo coronavírus em Portugal”. Neste âmbito, a AEP “assegura a identificação e a coordenação das empresas que possam associar-se e apoiar este projeto que deverá ser liderado pelas autoridades de Saúde e pela Ordem dos Médicos”.

O bastonário da Ordem dos Médicos explica que “a ideia é que o hospital seja modular, isto é, que veja a sua capacidade aumentar em função das necessidades da pandemia. Na primeira fase de arranque seriam disponibilizadas 48 camas, podendo o número ser alargado sucessivamente até às 624 camas”.

Miguel Guimarães destaca que “uma particularidade deste projeto, em relação aos hospitais de campanha já conhecidos, e que fará toda a diferença, é que todos os doentes serão tratados em enfermarias de pressão negativa e com acesso a equipamentos que permitem dar resposta a casos com alguma complexidade”. Nos espaços com pressão negativa o sistema de ventilação faz uma renovação do ar permanente e a pressão é mais baixa do que nas restantes instalações, o que evita que o vírus saia e contamine mais pessoas, sendo também benéfico em termos de recuperação pulmonar.

A campanha “SOS - Coronavírus”, uma iniciativa da AEP que teve início no dia 13 de março, tem também como objetivo a angariação de fundos, cujos montantes serão atribuídos atendendo às necessidades existentes no País, num processo articulado com a Ordem dos Médicos, no âmbito do protocolo celebrado, e auditado pela KPMG. A campanha conta já com os apoios do Banco Montepio, BPI, Caixa de Crédito Agrícola, Caixa Geral de Depósitos, EuroBic, Millennium bcp e Santander.