Vida

Acusada de "despejar" o marido na Casa do Artista, mulher de António Cordeiro reage

Também o ator José Raposo saiu em defesa de Helena Cordeiro face ao sucedido.


Helena Cordeiro, mulher do ator António Cordeiro, diagnosticado com uma doença degenerativa, viu o seu nome envolvido em polémica, após deixar o marido na Casa do Artista. Face às críticas, Helena esteve esta segunda-feira na TVI para explicar o porquê de ter deixado o ator aos cuidados da instituição.

À conversa com Fátima Lopes, Helena Cordeiro explica que sofreu um acidente há alguns meses em casa."Fiquei sem me conseguir mexer", recordou, afirmando que o acidente se deu quando tentava impedir o marido de cair ao chão. 

"O António estava naquela fase em que já precisava de mim para tomar banho, comer, tudo. (...) Ia tomando medicação para acalmar as dores e cuidar dele (...) Chorava de dores e desespero para que recebessem o António enquanto eu recuperava", disse, explicando que a situação se tinha tornado insustentável, tendo em conta que também tinha ao seu cuidado os sogros e a mãe.

Helena Cordeiro explica que soube através de uma amiga que surgiram algumas notícias de que havia “despejado” o marido na Casa do Artista.

"Liguei-lhe: 'Filomena, o que se passa?' Ela diz: 'Há uma data de malucas, que mais valia estarem a limpar a casa, estão a dizer que tu despachaste o António para a Casa do Artista, porque ele agora já não te serve para nada’. Eu disse: ‘A sério, Filomena?”, relatou.

A mulher explica que pretendia ir buscar o marido, com quem está há 25 anos. Contudo, a pandemia de covid-19 impediu que o fizesse.

"Tenho muita pena de não ter o António comigo em casa. Sinto a falta dele", rematou.

Também o ator José Raposo saiu em defesa de Helena Cordeiro face ao sucedido.

"É indescritível a crueldade desta doença, que transforma a pessoa num ser completamente dependente! E aqui entra neste texto a Lena... a Lena é uma guerreira (…) A Lena dedicou-se de corpo e alma ao amor da sua vida, e eu mais os amigos próximos do casal somos testemunhas! Ela passou a ser os braços, as pernas, o corpo do António! Só assim poderia o António ficar em casa, pois as 24 horas do dia eram passadas a ir (a Lena tirou a carta por isto) a fisioterapeutas, médicos, hospitais, e em casa todas as ações do dia-a-dia, sendo que para andar, ela tinha de conduzi-lo agarrando-o por trás”, escreveu nas redes sociais.