Economia

Insolvências aumentam 11,5% no primeiro trimestre de 2020

Lisboa e o Porto são os distritos que apresentam o valor de insolvências mais elevados: 294 e 357, respetivamente. Face a 2019, verifica-se um aumento de 7,7% em Lisboa e de 7,9% no Porto. Constituição de novas empresas caiu 25,7%.

As insolvências aumentaram 11,5% durante o primeiro trimestre de 2020 em Portugal, segundo o relatório da Iberinform divulgado esta quarta-feira. Apesar deste crescimento, o mês de março registou uma diminuição das insolvências –, com 391 empresas insolventes, menos 73 que no período homólogo (-15,7%) –, o que significa que as medidas tomadas no âmbito do estado de emergência vieram, para já, travar as insolvências.

Considerando também os dados de janeiro e fevereiro, o seu valor acumulado apresenta um incremento de 11,5% face ao ano passado: 1443 ações de insolvências, mais 149 do que em igual período de 2019.

Lisboa e o Porto são os distritos que apresentam o valor de insolvências mais elevados: 294 e 357, respetivamente. Face a 2019, verifica-se um aumento de 7,7% em Lisboa e de 7,9% no Porto.

Em termos percentuais, os maiores aumentos face ao ano passado verificaram-se em Angra do Heroísmo (150%), Portalegre (100%), Castelo Branco (80%), Bragança (66,7%), Faro (38,8%), Évora (30%), Viana do Castelo (25%), Aveiro (24,3%), Santarém (22,4%), Braga (22%), Leiria (15,4%) e Viseu (13,8%). Pelo contrário, os decréscimos mais acentuados nas insolvências até março registaram-se na Horta (-50%), Coimbra (-33,3%) e Setúbal (-14,9%).

No primeiro semestre de 2020, os setores com os maiores aumentos nas insolvências foram a Eletricidade, Gás, Água (200%), Indústria Extrativa (100%), Agricultura, Caça e Pesca (63,2%), Hotelaria e Restauração (23,2%), Outros Serviços (23,2%), Comércio a Retalho (20,1%), Comércio por Grosso (14%), Indústria Transformadora (9,7%) e Transportes (1,5%). Apenas três setores apresentam decréscimos neste período: Telecomunicações (-50%), Construções e Obras Públicas (-11%) e Comércio de Veículos (-4,4%).

Constituições baixam em março. Já as Constituições de empresas no mês de março passaram de 4457 em 2019 para 2319 em 2020, menos 2138 empresas em termos homólogos (-48%). Em termos acumulados, verifica-se uma diminuição face a 2018 (-11,4%) e 2019 (-25,7%). No primeiro trimestre deste ano foram constituídas 11 898 empresas, menos 4118 que em 2019.