Cultura

Maria Vieira aplaude suspensão do TV Fest e critica Governo: "Não tem dinheiro para comprar ventiladores, mas tem um milhão de euros para distribuir pelo Fernando Tordo e mais uns quantos"

"O Ministério da Cultura, ou seja, o povo português, ia atribuir um milhão de Euros para esta ‘maravilha’, dinheiro esse que iria parar aos bolsos dos mesmos do costume - os artistas fofinhos da Esquerda e amigos do PS e do António Costa - enquanto que todos os outros, nomeadamente os cantores mais populares e queridos do público, iam mais uma vez ficar a ver navios".

O TV Fest, iniciativa do Ministério da Cultura, em parceria com a RTP, para apoiar a música portuguesa em um milhão de euros, foi suspenso, depois de gerar várias críticas de artistas e de ser criada uma petição a pedir o cancelamento do festival, que reuniu mais de 18 mil assinaturas.

O festival, apresentado por Júlio Isidro, e que ia arrancar esta quinta-feira, com Fernando Tordo, Marisa Liz, Ricardo Ribeiro e Rita Guerra, vai agora ser repensado. Maria Vieira foi uma das artistas que aplaudiu a suspensão do mesmo e teceu duras críticas ao Governo.

“Acabo de saber que um tal de ‘TV FEST’ - um evento promovido pelo Ministério da Cultura e transmitido pela RTP - foi cancelado após uma petição de protesto ‘online’ com mais de 18 mil assinaturas, entre as quais figuram os nomes de vários músicos e artistas em geral, que acharam (muito oportunamente) que este evento ia ser mais uma daquelas artimanhas para que os cantores e outros ‘artistas’ do regime, pudessem arrecadar mais umas belas massas...”, começou por escrever a humorista, numa publicação partilhada na sua página de Facebook.

“Acresce dizer, que o Ministério da Cultura, ou seja, o povo português, ia atribuir um milhão de Euros para esta ‘maravilha’, dinheiro esse que iria parar aos bolsos dos mesmos do costume - os artistas fofinhos da Esquerda e amigos do PS e do António Costa - enquanto que todos os outros, nomeadamente os cantores mais populares e queridos do público, iam mais uma vez ficar a ver navios...”, acrescentou.

Maria Vieira fala ainda na crise económica e critica o dinheiro que iria ser atribuído ao festival, numa altura em que o país necessita de material médico para combater a pandemia de covid-19.

“O Júlio Isidro ia apresentar a coisa e convidou o camarada Fernando Tordo e mais outros três, que por sua vez iriam escolher mais uns quantos amigos para continuarem a distribuir o dinheiro dos contribuintes e tudo isto ia acontecer num país falido, num país que tem uma das maiores dívidas do mundo e num país que à semelhança do resto do planeta atravessa a pior crise económica desde a Segunda Guerra Mundial!!! ‘Portantos’: o governo não tem dinheiro para comprar ventiladores, testes, material médico, camas para os hospitais, ambulâncias e outras coisas utilizadas para salvar vidas, mas tem um milhão de euros para distribuir pelo Fernando Tordo e por mais uns quantos camaradas que gostam de cantar o ‘Grândola Vila Morena’!!!”, lê-se.

A humorista aplaude por fim os músicos que se mostraram contra o festival, nomeadamente Salvador Sobral. “Sei que entre os músicos e cantores que protestaram e conseguiram evitar esta vergonha se encontra o Salvador Sobral e para ele vai o meu bem-haja, porque confesso ter ficado muito surpreendida e muito bem impressionada com a atitude de alguém, de quem, confesso, não estava à espera”, rematou.