Cultura

Entrega de Prémio Camões a Chico Buarque adiada sem data

Não é o primeiro percalço relacionado com a atribuição deste Prémio Camões. Em outubro do ano passado, Jair Bolsonaro ameaçou boicotar a assinatura do documento de atribuição do prémio.

A cerimónia de entrega do Prémio Camões ao cantor brasileiro Chico Buarque, prevista para dia 25 de Abril, em Lisboa, foi adiada devido à pandemia de covid-19, disse ontem à Lusa uma fonte do Ministério português da Cultura. De acordo com a mesma fonte, “a entrega do Prémio Camões será remarcada para data a definir”.

A data para a atribuição do prémio literário a Chico Buarque tinha sido anunciada para o dia 25 de Abril, data que havia sido apontada como de preferência do músico e escritor brasileiro.

Não é o primeiro percalço relacionado com a atribuição deste Prémio Camões. Em outubro do ano passado, cinco meses depois de Chico Buarque ter sido anunciado vencedor, o Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, ameaçou boicotar a assinatura do documento de atribuição do prémio.

As palavras que usou na altura, citado pelo jornal Folha de São Paulo, foram de que a assinatura do documento não estava entre as suas prioridades: "Até 31 de dezembro de 2026  [o final de um eventual segundo mandato], eu assino".

A resposta de Chico Buarque chegou via Instagram: "A não assinatura de Bolsonaro no diploma é para mim um segundo Prémio Camões", afirmou então.