Sociedade

Detidas 58 pessoas por violação das regras do estado de emergência e encerrados 142 estabelecimentos

Em conferência de imprensa, Eduardo Cabrita fez um balanço das detenções do presente estado de emergência e falou ainda sobre as restrições impostas entre 1 e 3 de maio, em que vão ser proibidas deslocações para fora do concelho.


Eduardo Cabrita, ministro da Administração Interna, apelou, esta sexta-feira, para que, durante este fim de semana, restrinjamos as deslocações. O governante falou ainda sobre as restrições impostas entre 1 e 3 de maio, em que vão ser proibidas deslocações para fora do concelho, à semelhança do que aconteceu na Páscoa, e realça que estas são um “esforço adicional para retomarmos gradualmente a normalidade a partir do início de maio". "Haverá regras de circulação entre municípios similares às que existiram na época da Páscoa. Verifica-se generalizado confinamento dos cidadãos", disse, em conferência de imprensa, indo de encontro ao que já tinha sido dito pelo primeiro-ministro, António Costa.

Num balanço do terceiro período do estado de emergência, o governante revelou que foram feitas "apenas 58 detenções, 23 das quais por violação do dever de confinamento obrigatório" e foram encerrados 142 estabelecimentos que estavam a violar as regras, fundamentalmente estabelecimentos da área da restauração e similares". Eduardo Cabrita elogiou ainda o comportamento dos cidadãos de Ovar, localidade onde se mantêm várias restrições, apesar do levantamento do cerco sanitário.

Sobre as forças de segurança, Cabrita revelou que "estão confirmados 168 casos de infeção”. Porém, 26 estão curados. “282 polícias ou militares da GNR estão em isolamento profilático, por eventual contacto com colegas e outros cidadãos afetados. Isto em nada afeta a operacionalidade das forças de segurança", garantiu.

O ministro da Administração Interna disse ainda que até à primeira semana de maio serão realizados testes a todos os funcionários dos Lares, revelando depois que até ontem realizaram-se 317 mil testes em todo o país e que em abril foram feitos o dobro dos testes de março.

Na mesma conferência de imprensa, Eduardo Cabrita disse que desde o início da pandemia, já chegaram a Portugal 25 aviões com material de apoio médico, nomeadamente com equipamentos de proteção individual, ventiladores e outros equipamentos. "Para a próxima semana estão programados mais quatro voos", revelou.

Sobre as comemorações do 25 de Abril, que se assinala este sábado, o governante reitera que a “melhor forma para festejar o 25 de abril será cantar o 'Grândola, Vila Morena' às 15h00 a partir da janela da casa de cada um de nós".

Questionado sobre se os níveis de confinamento têm baixado, Cabrita disse que se verificou “um aumento de circulação na via pública e nas estradas, sobretudo pela retoma de atividade de empresas que não estavam obrigadas a fechar, mas que por decisão própria suspenderam ou limitaram a laboração”. O ministro apelou a que se mantenham comportamentos de prevenção "neste fim de semana" e no próximo.

"Tem havido grande sentido de cooperação entre PSP e GNR", elogiou o ministro.

Eduardo Cabrita revelou ainda que "vão ser realizados testes a requerentes de asilo que estejam a aguardar decisão administrativa ou judicial em alojamentos coletivos, sobretudo na área de Lisboa".