Opiniao

Abraço de coragem

De repente percebemos todos que o mundo pula de susto e não avança. Uma pandemia viral e o pandemónio económico.

por Teresa Ricou
Fundadora da Escola-circo Chapitô

O mundo está em silêncio!  Será que estamos com medo? Será que estamos conformados? Será que perdemos as forças para sustentar e aguentar este mundo monstruoso a rebentar pelas costuras? Grande incerteza, grande insegurança, muitas surpresas, boas e más, podem acontecer.

Há 450 anos Portugal foi invadido pela Peste Negra. São Roque, padre jesuíta, dedicou-se a curar as maleitas do corpo e da alma e ficou o Santo Padroeiro de Lisboa. Hoje, século XXI, ano 2020, somos contaminados pelo covid-19!

E Benjamim veio para a rua e gritou à malta: «O mundo crashou!...». É Benjamim, mas, como tu, eu não desisti! Mulher de circo só sabe o voar porque há um Chapitô a apontar o céu!

Do Oriente sempre vieram estranhezas: magos, sedas e cheiros, yin e yang, muralhas sem fim e comércio a cada esquina. Desta vez, veio um vírus… e coroado… e parou toda a gente! De repente percebemos todos que o mundo pula de susto e não avança. Uma pandemia viral e o pandemónio económico.

E eu confinei-me nestas terras do nordeste entre o mar e a serra, tentando ocupar o dia-a-dia, brincando com as memórias, ocupando o meu tempo dando forma ao pensamento. Aconselho a todos não desistir e que dias melhores virão.

Leia o artigo na íntegra na edição impressa do SOL. Agora também pode receber o jornal em casa ou subscrever a nossa assinatura digital.