Opiniao

A Pandemia covid-19. Só perde quem deixa de lutar

E se é verdade que ninguém viverá neste mundo eternamente, também não há dúvidas de que muito poucos terão pressa de o deixar...

por António Gentil Martins    
Médico

Não pode deixar de se aceitar que os mais idosos, até porque muitas vezes acrescentam à idade múltiplas situações desfavoráveis de saúde, são em geral as primeiras vítimas de qualquer pandemia. E se é verdade que ninguém viverá neste mundo eternamente, também não há dúvidas de que muito poucos terão pressa de o deixar... embora realisticamente possam procurar preparar-se para esse momento do Ciclo da Vida, iniciado com o nascimento e terminando na morte. Mas nem por isso, rapidamente, mesmo correndo riscos, deixaremos de regressar ao que sempre considerámos um convívio e vida normal em Sociedade...!

Esta pandemia, causada pelo novo vírus covid-19, ultrapassa infelizmente tudo o que se poderia imaginar acontecer num mundo considerado cientificamente evoluído. E é, no entanto, assim, essa a dura realidade, impondo a novos e menos novos resiliência e dedicação, todos unindo-se verdadeiramente no necessário combate, no respeito e na solidariedade, pensando nos outros e não olhando apenas em si próprios, poderemos fazer renascer a esperança e minimizar o sofrimento e os prejuízos, quer a curto mas sobretudo a longo prazo.

Como um isolado facto positivo parece ter sido finalmente reconhecido o importante papel dos profissionais de saúde a quem importa dar adequadas condições de trabalho e de segurança, o que, infelizmente até agora, têm sido aparentemente relativizado. Haverá que ouvir quem mais sabe, procurando lutar sobretudo pela prevenção, para além da cura, contra um inimigo ainda insuficientemente conhecido.

Leia o artigo na íntegra na edição impressa do SOL. Agora também pode receber o jornal em casa ou subscrever a nossa assinatura digital.