Politica

Marcelo não vai propor nova renovação do estado de emergência

Presidente relembra que fim do estado de emergência não é o fim do surto, nem do fim do estado de controlo e contenção.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse, esta terça-feira, que o estado de emergência já não será renovado a 2 de maio.

No final de uma reunião com o primeiro-ministro, presidente da Assembleia da República, representantes de partidos, parceiros sociais e especialistas, no Infarmed, em Lisboa, o Presidente da República revelou que não vai propor nova renovação do estado de emergência.

"Espera-se não ser necessário recorrer no futuro ao estado de emergência, se for será ponderado", disse, no final da reunião com especialistas de saúde pública, relembrando, no entanto, que o fim do estado de emergência não é o fim do surto, nem do fim do estado de controlo e contenção.

"Não se pode encarar a terceira fase como a fase da normalidade e da estabilização. Não. É uma fase de controlo da situação, com uma retoma por pequenos passos", sublinhou, acrescentando que nesta nova fase o que interessa “é o equilíbrio e a contenção" e que "cada pequeno passo vai ser avaliado permanentemente" pelas autoridades.

Antecipando a quarta fase do surto, o chefe de Estado disse esperar que esta “seja a do termo do surto". 

Fica agora a cargo do Governo decidir os instrumentos e medidas a ser aplicados depois do dia 2 de maio.