Politica

Maçonaria. Pandemia não trava luta pela liderança do GOL

Fernando Cabecinhas anunciou candidatura a grão-mestre do Grande Oriente Lusitano depois de “crescentes apoios e incentivos”.

As eleições para escolher o sucessor de Fernando Lima foram canceladas por causa da pandemia e o processo eleitoral está parado, mas já há um candidato assumido. Fernando Cabecinha, gestor de empresas e ex-presidente da Grande Dieta [o parlamento maçónico], enviou uma mensagem aos maçons a anunciar a candidatura a grão-mestre do Grande Oriente Lusitano (GOL).

Fernando Cabecinha escreve que anuncia a candidatura com “humildade” e depois dos “crescentes apoios e incentivos” que tem recebido e que, “em consciência, não poderia ignorar”.

Na mensagem enviada aos maçons, no dia 25 de abril, o candidato à liderança do GOL escreve que “o mundo mudou” e são necessárias “soluções novas” para responder aos novos desafios. “Por isso, comprometo-me, também, a ser o rosto dessa mudança, a dar um novo impulso para a fraternidade no seio do nosso GOL”, afirma Fernando Cabecinha.

As eleições, que estavam marcadas para dia 6 de junho, foram desconvocadas devido à pandemia e ainda não existe uma nova data. Fernando Lima está há quase dez anos à frente do GOL e já garantiu que não tenciona recandidatar-se.

Lima anunciou, em meados de fevereiro, numa mensagem enviada a todos os maçons, que este era o seu último mandato. Fê-lo para acabar com “ambiguidades, inverdades, sussurros, notícias inexatas ou perturbadoras” e apelou a que “os caminhos que o GOL vem trilhando prossigam”.

MAIS CANDIDATOS Fernando Cabecinha foi próximo do atual grão-mestre, mas uma boa parte dos seus apoios são agora dos adversários da atual liderança. O mais certo é, por isso, surgirem mais candidaturas quando a atividade da maçonaria regressar à normalidade e o processo eleitoral for reaberto.

Uma das possibilidades é surgir uma candidatura próxima do atual grão-mestre.

Lima é o líder do GOL que durante mais tempo ocupou o cargo desde o 25 de Abril. Foi eleito pela primeira vez em 2011, à primeira volta, com quase 60% dos votos. Nas últimas eleições, em julho de 2017, foi reeleito para um terceiro mandato, mas só à segunda volta, numa das campanhas internas mais animadas de sempre.

O atual grão-mestre disputou a segunda volta com o professor universitário e politólogo Adelino Maltez, que prometia “tirar o GOL da clandestinidade”, e conseguiu quase 53% dos votos.

DO BLOCO CENTRAL AO IEFP Fernando Cabecinha é licenciado em Gestão de Empresas e tem feito uma carreira entre o público e o privado. Integrou o gabinete do secretário de Estado do Emprego Rui Barradas do Amaral, em 1983, durante o Governo de bloco central. Exerceu cargos de direção no Instituto de Emprego e Formação Profissional durante vários anos (entre 1987 e 1996 e entre 2004 e 2011). Foi também secretário-geral do Instituto Português do Oriente, em Macau, entre 1996 e 1998.

No privado, além de ter sido consultor e administrador de várias empresas, foi número dois de Fernando Lima durante o tempo em que o atual grão-mestre do Grande Oriente Lusitano foi presidente da Galilei (antiga Sociedade Lusa de Negócios, que detinha a 100% o BPN), entre 2009 e 2015.