Desporto

Regresso do futebol em Portugal dependente das autoridades de saúde

Presidente da FPF remeteu mais decisões para quinta-feira, quando o primeiro-ministro revelar o plano gradual de desconfinamento.

Da reunião de hoje entre Luís Filipe Vieira, Frederico Varandas, Pinto da Costa, Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Liga e António Costa, saiu uma certeza: o regresso do futebol em Portugal está dependente das autoridades de saúde.

“As condições para a retoma estão dependentes do parecer da autoridade de saúde. Importa criar as condições para criar a retoma e não pará-la depois novamente. E essas condições têm de ser acertadas para continuarmos a dar o exemplo ao mundo de como combater a pandemia”, declarou Fernando Gomes, presidente da FPF, em São Bento.

O líder máximo do organismo que rege o futebol em Portugal remeteu mais decisões para quinta-feira, quando o primeiro-ministro revelar o plano gradual de desconfinamento no país.

Contudo, Fernado Gomes diz ainda que só será anunciada uma decisão final “se os trabalhos com a Direção-Geral da Saúde” conduzirem os técnicos de saúde, liderados por Adalberto Campos Fernandes, a uma “posição definitiva”.

A possibilidade de usar menos estádios, e fazê-lo numa localização geográfica mais confinada, "enquadra-se na avaliação do risco" que está a ser realizada, esclareceu ainda o dirigente.

Recorde-se que esta terça-feira ficou conhecida a primeira grande decisão entre os cinco principais campeonatos da Europa, com a Ligue 1 a ser cancelada por ordem do governo francês – que impediu quaisquer grandes eventos até setembro.