Internacional

Covid-19 obriga sete irmãos a escolherem cinco para irem ao funeral do pai

Pai solteiro e com sete filhos, apenas cinco poderão estar presentes na cerimónia de adeus a Gerald.


A pandemia da covid-19 levou a muitas mudanças no dia-a-dia para impedir a propagação do novo coronavírus. De modo a evitar a concentração de um aglomerado grande de pessoas, as cerimónias fúnebres foram proibidas e muitas pessoas não se puderam despedirem dos seus familiares e amigos. 

Na cidade de Sheffield, no Reino Unido, apenas cinco pessoas podem estar presentes no último adeus do seu ente querido. Uma escolha que não é fácil, como é o caso da família Hackford, cujo progenitor morreu aos 72 anos com complicações cardíacas. Pai solteiro e com sete filhos, apenas cinco poderão estar presentes na cerimónia de adeus a Gerald.

"Como podemos tomar a decisão de quem irá, quem não irá? Ele era um pai solteiro que, surpreendentemente, criou todos os sete filhos. Todos nós devemos estar lá. Devemos-lhe isso, pelo menos", disse uma das filhas, Geraldine, de 46 anos, ao Daily Star. "Estamos cientes da gravidade da pandemia e estamos dispostos a adotar medidas adicionais usando máscara e luvas. Vamos afastar-nos uns dos outros se pudermos estar lá para o nosso pai, como ele esteve lá para nós", acrescentou.