Sociedade

Carlos Lopes denuncia falhas do INEM na assistência a Nuno Alpiarça. INEM nega

 INEM garantiu que "não existiu qualquer atraso na assistência".


O treinador de atletismo Nuno Alpiarça morreu, esta quinta-feira, aos 53 anos, vítima de doença súbita. Em declarações à agência Lusa, o antigo atleta paralímpico Carlos Lopes considera que Nuno Alpiarça foi uma "vítima de covid-19, sem o ser”.

"O Nuno Alpiarça, sem ter covid-19, acabou por ser uma vítima da doença, porque foi deixado no chão durante muito tempo e isso, naturalmente, pode ter sido decisivo", disse o antigo atleta à agência noticiosa.

Carlos Lopes refere que, de acordo com os relatos de dois atletas que estavam com o treinador,  "passaram quase duas horas entre a chamada para o INEM e a chegada ao Hospital de Santa Maria" e Nuno Alpiarça "ficou no chão demasiado tempo, sem que nada lhe tivessem feito, à exceção de lhe terem colocado uma máscara e uma viseira".

"No atual contexto, apanha-se alguém com dificuldades de respiração e a pessoa fica no chão com uma máscara, porque o protocolo covid-19 se sobrepõe a tudo", afirmou. De acordo com a agência Lusa, o treinador tinha acusado negativo para covid-19 poucos dias antes.

Em resposta à Lusa, o INEM garantiu que "não existiu qualquer atraso na assistência" e assegura que, "nas duas horas que decorreram entre o pedido de ajuda inicial e a chegada ao hospital, o doente esteve sempre a receber a assistência médica adequada à sua condição clínica".

O INEM referiu ainda que, na chamada inicial, pelas 10h19,  "não foram indicados quaisquer sinais ou sintomas compatíveis com uma vítima crítica, tendo sido apenas referido que a vítima teria sofrido uma queda”. “Por se tratar de uma situação de dificuldade respiratória com uma semana de evolução (informação transmitida pela própria vítima), existem protocolos de segurança que têm obrigatoriamente de ser cumpridos", acrescentou, garantindo que depois de o estado da vítima se ter agravado, foi acionado um pedido de apoio de uma Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER), na qual "foram realizadas manobras de Suporte Básico de Vida (SBV) durante aproximadamente 20 minutos". A vítima foi transportada para o Hospital de Santa Maria, em Lisboa, às 11h43.

"Não faz sentido algum referir que o doente demorou duas horas a chegar ao hospital, quando a VMER é precisamente um meio de emergência altamente diferenciado que funciona como uma extensão do hospital", assegura o INEM.

Nuno Alpiarça nasceu a 24 de setembro de 1966 e, entre outros atletas, treinou Carlos Lopes durante 10 anos.