Internacional

Viagens para fora de território europeu desaconselhadas pela Comissão Europeia até que haja um tratamento para a covid-19

As restrições à circulação nas fronteiras externas e internas da UE foram impostas em março como parte das medidas adotadas pelos Estados-membros para o combate à pandemia de covid-19.

De forma a evitar casos de cidadãos retidos em países fora do território europeu, a Comissão Europeia desaconselha viagens de cidadãos europeus para fora da União Europeia até final do ano ou até a covid-19 estar "numa situação estável”. Ou seja, com tratamento disponível.

“Não recomendo que as pessoas considerem destinos fora da UE enquanto não estivermos numa situação estável, como por exemplo com um tratamento ou com uma vacina disponível, e não penso que esse seja o cenário até final do ano", disse em Bruxelas, em entrevista à agência Lusa, a comissária europeia dos Transportes, Adina Valean.

A responsável sublinhou que Bruxelas "não quer voltar a ver cidadãos europeus retidos" fora da UE. "Essa foi a situação no início da crise e, por isso, tivemos de organizar vários voos para repatriar pessoas que estavam retidas em destinos afastados e que não puderam utilizar transportes para voltar", afirmou Adina Valean.

As restrições à circulação nas fronteiras externas e internas da UE foram impostas em março como parte das medidas adotadas pelos Estados-membros para o combate à pandemia de covid-19.

Em Portugal estão desde então proibidas as viagens internacionais com exceção para alguns países com grandes comunidades de lusodescendentes. Ao país têm chegado alguns, ainda que poucos, voos europeus, com exceção para as ligações a Itália e Espanha, país com o qual Portugal mantém fechada a fronteira terrestre.