Vinagrete

Quem paga a crise é o povo

É fácil pedir dinheiro ao Governo. E até compreensível da parte dos empresários (que, em Portugal, nunca souberam agir sem o apoio próximo e financeiro do Estado). 

Mas em partidos que dizem defender os trabalhadores, já é mais estranho. Afinal, qual é o dinheiro principal que o Estado e o Governo gastam, a não ser o dos trabalhadores contribuintes, numa palavra, dos seus impostos?

Ou mesmo certos trabalhadores fazerem certos pedidos. Por exemplo, ver o bastonário dos advogados a pedirem máscaras gratuitas para poderem ir aos tribunais, quando toda a gente vai precisar delas, e muitos nem conseguem ir aos tribunais.

Li algures que os ordenados brutos relativamente superiores a 600 euros, mas claramente inferiores a 700 euros por mês (não contando férias e  Natal, dividindo apenas por 12 o que auferem anualmente, os tais trabalhadores) já vão pagar de IRS, depois desta crise,cerca de 30 euros mensais de impostos – quando antes estavam naturalmente excluídos do IRS.

Portanto, é bom todos sabermos que as ajudas dadas e pedidas com tanta facilidade, vão sair dos bolsos mais pobres.

Pedro d'Anunciação