Internacional

Aliados dos EUA negam que a covid-19 veio de um laboratório

Apesar da intensa especulação nas redes sociais, incentivada pelo próprio Presidente dos EUA, as secretas dos seus aliados não estão a par das alegadas provas prometidas por Pompeo.

Os relatórios dos chamados Cinco Olhos, uma aliança entre os serviços secretos dos Estados Unidos, Austrália, Reino Unido, Canadá e Nova Zelândia, indicam que o novo coronavírus não provém de um laboratório chinês, avançaram fontes próximas à CNN. Ainda no domingo, o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, garantiu que "há uma quantidade significativa de provas que isto [covid-19] veio de um laboratório em Wuhan". Se há, os aliados mais próximos dos EUA, com quem partilha a vasta maioria da sua informação mais sensível, não foram informados.

Fica a questão de porque é que a Administração de Donald Trump havia de mentir acerca do assunto, numa altura em que tantos pedem unidade face à pandemia. Há uma resposta óbvia: antes do surgimento do novo coronavírus, o Presidente estava embrenhado numa longa disputa comercial com a China, entre promessas de um acordo mútuo que nunca se concretizaram.

O objetivo das atuais acusações de Trump contra a China "é evitar a crítica doméstica ao Presidente quanto à resposta, manchar a reputação global da China e dar aos EUA margem de manobra no comércio e outros aspetos na competição China-EUA", lê-se na Associated Press. Aliás, a Administração de Trump já discute planos para tentar deslocalizar a produção industrial da China, através de subsídios e tarifas mais baixas para empresas que produzam noutros países com mão de obra barata, como o Vietname, avançou a Reuters. 

Entretanto, a Organização Mundial de Saúde (OMS), um inimigo recente de Trump, que acusou a agência das Nações Unidas de ser "chinocêntrica", reagiu às alegações feitas por Pompeo no domingo. "Da nossa perspetiva, permanece especulativo", comentou o diretor de emergência da OMS, Michael Ryan. "Mas, como qualquer organização baseada nos factos, estariamos muito disponíveis para receber qualquer informação relativa à origem do vírus".