Politica

“A luta não pode ficar de quarentena”, diz Jerónimo de Sousa

Secretário-geral do PCP recorda julgamento de Álvaro Cunhal. "A luta é sempre necessária", diz

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, defende que “vivemos uma situação difícil” e “este é um momento para afirmar que a luta não está, nem pode ficar de quarentena”.

Num vídeo para assinalar o 70º aniversário do julgamento de Álvaro Cunhal, o secretário-geral do PCP alerta que a pandemia “está a servir de pretexto ao grande capital nacional e internacional para intensificar o ataque aos direitos, à liberdade e à democracia, agravar a exploração e acelerar a concentração e centralização de capital”.

Jerónimo de Sousa refere que, em Portugal, são já “milhares de trabalhadores despedidos, com cortes nos salários e com salários em atraso”.

Os comunistas recordam o julgamento de Álvaro Cunhal “perante o tribunal fascista, onde proferiu uma memorável intervenção na qual, com notável lucidez e coragem, procedeu ao julgamento e condenação do regime fascista”.

Para Jerónimo de Sousa, um “ensinamento que Álvaro Cunhal nos legou com a sua palavra e o seu exemplo é que, sejam quais forem as circunstâncias existentes em cada momento, a luta é sempre necessária – e vale sempre a pena, porque será ela e a força que dela emana, em última instância, que determina a evolução dos acontecimentos”.