Desporto

Carlos Vieira, antigo vice-presidente do Sporting, defende espaço para Eusébio no museu leonino

Ex-dirigente diz que  "também se pode considerar" que jogador foi do Sporting na formação

Carlos Vieira, destituído vice-presidente do Sporting, defende a criação de um espaço para Eusébio no Museu do Sporting.

Num artigo de opinião publicado num site afeto ao clube de Alvalade, o antigo braço direiro de Bruno de Carvalho diz que também "se pode considerar" que a antiga glória do Benfica passou pela formação leonina, referindo-se à altura em que o Pantera Negra alinhou pelo Sporting de Lourenço Marques, uma filial dos leões.

"Não esqueço também as peripécias com Eusébio, em 1960, que permitiram que o jogador assinasse com o Sport Lisboa e Benfica. A propósito de Eusébio, e face à realidade daquele tempo, continuo a achar que deveria haver no Museu do Sporting um espaço para mostrar um jogador que também se pode considerar como tendo feito parte da sua formação, pois jogou três anos no Sporting de Lourenço Marques (hoje Clube de Desportos do Maxaquene), tendo sido campeão distrital e provincial", escreveu.

O antigo dirigente lamenta também que "muitos (demais) jogadores da formação do Sporting dele saiam com rancor, e que hoje, salvo honrosas exceções, o clube perca a ligação a muitos que são vistos, muitos anos depois, como mercenários, traidores e mal agradecidos".