Sociedade

OMS desaconselha encerramento de mercados como o de Wuhan

Especialista defende melhoria das condições de higiene e dos padrões respeitantes à segurança alimentar destes espaços

A Organização Mundial da Saúde (OMS) mostrou-se contra o encerramento ou ilegalização de mercados de animais vivos, como o de Wuhan, na China, onde se pensa que teve origem o primeiro caso do novo coronavírus.

Num encontro com a imprensa, o especialista em doenças de animais da OMS, Peter Ben Embarek, lembrou que os mercados de animais vivos são uma fonte de alimento para milhões de pessoas em todo o mundo.

Como tal, para Embarek, a solução passa sobretudo por melhorar as condições dos espaços no que respeita à higiene e aos padrões respeitantes à segurança alimentar.

"A segurança alimentar nesses ambientes é difícil e, por isso, não é surpreendente que por vezes tenhamos acontecimentos como esses a surgir nesses mercados", declarou.

O especialista sublinha ainda que não é 100% seguro dizer que o primeiro caso da covid-19 esteja associado ao mercado de Wuhan - ou que este esteja na origem da propagação da doença.