Economia

BdP lucra 759 milhões e dá 607 milhões em dividendos ao Estado

Este valor de dividendos representa uma redução de 38 milhões de euros face aos 645 milhões distribuídos no ano anterior. 

O Banco de Portugal registou com um lucros de 759 milhões de euros e entregou ao Estado 607 milhões de euros em dividendos relativos ao exercício do ano passado. Este valor representa uma redução de 38 milhões de euros face aos 645 milhões distribuídos no ano anterior. 

Recorde-se que no Orçamento do Estado, o Governo previa que, relativos a 2019, o Banco de Portugal entregasse ao Estado dividendos de 468 milhões de euros.

Além dos dividendos, o Banco de Portugal pagou ainda 347 milhões de euros em IRC. No seu todo, o montante entregue aos cofres públicos situou-se em 956 milhões de euros. O valor supera aquele que era esperado quando foi feito o orçamento interno do banco: 759 milhões.

O resultado antes de provisões e impostos foi praticamente em linha com o de 2018 (+9 milhões de euros). Fixou-se em 1106 milhões de euros. Das componentes do resultado líquido o BdP salienta que, o resultado líquido de juros e de gastos e rendimentos equiparados, totalizou 998 milhões, correspondendo a uma redução de 67 milhões de euros face a 2018, num contexto de redução das taxas de juro, tanto ao nível da gestão de ativos, como em termos de política monetária.

O resultado de operações financeiras e os prejuízos não realizados, que, em conjunto, totalizaram 45 milhões de euros, menos 23 milhões de euros do que em 2018, ano em que se realizaram mais-valias relevantes em consequência da redução estratégica da posição do banco em moeda estrangeira.

Já a quantidade de ouro “manteve-se em 382,5 toneladas e encontrava-se avaliada em 16,7 mil milhões de euros no final de 2019”, diz ainda o relatório.