Sociedade

Crianças regressam às creches em França: "Estou de coração partido"

“Para respeitar as distâncias, aproveitando o recreio, os professores desenharam quadrados no chão para os pequenos. As crianças brincam, dançam, pulam, riem juntas… mas dentro de cada quadrado”, explicou um jornalista através do Twitter, onde partilhou algumas fotografias do regresso às aulas. 


As crianças regressaram às creches em França, esta segunda-feira, numa nova realidade provocada pelo novo coronavírus. Numa altura em que todo o mundo enfrenta esta pandemia, para a qual ainda não existe cura, é necessário que a população cumpra regras de distanciamento e higienização das mãos para conter a propagação da doença. Para as crianças, habituadas a brincar e a partilhar brinquedos, esta nova realidade pode vir a ser díficil de interiorizar. E até mesmo de ver. 

O jornalista da BFM Lionel Top decidiu partilhar algumas fotografias da nova realidade do mundo das crianças nas creches e utilizou a reabertura de uma escola em Tourcoing como exemplo. Nas imagens pode ver-se vários quadrados no chão, onde as crianças devem ficar para se manterem afastadas e cumprirem o distanciamento de segurança. “Para respeitar as distâncias, aproveitando o recreio, os professores desenharam quadrados no chão para os pequenos. As crianças brincam, dançam, pulam, riem juntas… mas dentro de cada quadrado”, explicou numa das publicações, que obteve milhares de partilhas e comentários. "Estou de coração partido", pode ler-se num dos comentários. 

Noutras imagens pode ver-se que há muito menos crianças nas salas e que os educadores e auxiliares utilizam uma máscara para garantir a segurança dos meninos. Por outro lado, o jornalista diz que as crianças não estão a olhar para o distanciamento como "um castigo".

Em Portugal, as crianças vão regressar às creches na próxima segunda-feira, dia 18 de maio. As medidas da DGS dividiram a população portuguesa: muitos são a favor do regresso às aulas e apelidam-no de essencial para a retoma da atividade económica. Outros, por outro lado, acusam o Governo de estar a ser irresponsável e afirmam que é impossível cumprir as regras impostas com crianças tão pequenas.