Internacional

Mulher dá à luz e anda 160 quilómetros a pé com bebé nos braços até receber assistência

“Ela apenas descansou cerca de hora e meia a duas horas depois de dar à luz. A família não tinha dinheiro, nem meio de transporte e ninguém lhes deu boleia", contou testemunha.

Uma mulher indiana deixou a sua terra natal, onde tinha sido imposta a quarentena, em busca de melhores condições de vida, na sequência da crise provocada pela pandemia de covid-19. Consigo estavam o marido, quatro filhos e um quinto que carregava na barriga e que entretanto decidiu nascer a meio do caminho.

A migrante indiana deu à luz e caminhou mais 160 quilómetros com a filha recém-nascida nos braços até receber assistência médica.

A história acabou por ser contada por uma agente de controlo fronteiriço entre estados, em Madhya Pradesh, no centro do país, à CNN.

A bebé nasceu no dia 5 de maio, quatro dias antes de ali chegarem, segundo contou a agente do posto de controlo. “Ela apenas descansou cerca de hora e meia a duas horas depois de dar à luz. A família não tinha dinheiro, nem meio de transporte e ninguém lhes deu boleia", sublinhou.

Esta é apenas uma das milhares de famílias indianas que estão a rumar ao Interior do país, para fugir das medidas mais restritivas impostas nas cidades devido à covid-19.

Sublinhe-se que a Índia é o segundo país mais populoso do mundo o que levanta suspeitas sobre o desfasamento entre o balanço oficial de casos confirmados e dos óbitos associados à doença. Até ao momento foram registados, oficialmente, 78 mil diagnósticos positivos de covid-19 e 2.551 vítimas mortais.