Internacional

Tribunal do Winsconsin proíbe extensão do confinamento ordenada pelo governador

Os juízes escreveram que o tribunal não estava a desafiar o poder do governador em declarar emergências, mas "no caso da pandemia, que dura mês atrás de mês, o governador não pode depender nos poderes de emergência indefinidamente".

A maioria conservadora do Supremo Tribunal do estado de Winsconsin, nos Estados Unidos, decidiu a favor dos congressistas estaduais republicanos contra a decisão do governador democrata, Tony Evers, de estender as ordens de confinamento em todo o Winsconsin.

A decisão da mais alta instância do estado foi renhida, tendo quatro dos sete juízes votado a favor dos republicanos. Esta deliberação limita o poder de Evers de emitir ordens a nível estadual durante emergências como a pandemia do coronavírus, obrigando-o a trabalhar com a legislatura no que toca à gestão da crise sanitária.

Os juízes escreveram que o tribunal não estava a desafiar o poder do governador em declarar emergências, mas "no caso da pandemia, que dura mês atrás de mês, o governador não pode depender nos poderes de emergência indefinidamente”, cita o Washington Post.

Evers, que tinha estendido a proibição da maioria das viagens e da atividade da maioria dos estabelecimentos comerciais não essenciais até 26 de maio, condenou a decisão do supremo estadual. Em comunicado, disse que os “os legisladores republicanos tinham conseguido convencer os quatros juízes a atirar o estado para o caos”.