Economia

Tráfego aéreo gerido pela NAV Portugal caiu 94% em abril

Em março, o recuo tinha sido de 36% graças à primeira metade do mês que decorreu ainda em condições normais até começarem a avançar interdições a ligações aérea.

A NAV Portugal geriu 4.018 voos durante o mês de abril, uma quebra de 94,2% face ao mesmo mês do ano passado que confirma o forte impacto das medidas de contenção da pandemia covid-19 no tráfego aéreo.

Em março, o recuo tinha sido de 36% graças à primeira metade do mês que decorreu ainda em condições normais até começarem a avançar interdições a ligações aérea. Já na altura, a NAV Portugal avançava com uma previsão de uma queda abrupta em abril.

Se nos dois primeiros meses do ano o tráfego controlado pela NAV Portugal nas suas duas regiões de informação de voo se encontrava em linha com os dados de 2019 – 119,3 mil movimentos (2019) contra 119,4 mil -, março e abril atiraram o acumulado do ano para uma forte queda. Ao todo, e nos primeiros quatro meses do ano, a NAV geriu 165,6 mil movimentos, contra 253,7 mil no mesmo período de 2019 e 246 mil em 2018.

Estes valores são ainda mais reduzidos que as previsões mais pessimistas traçadas pela NAV Portugal aquando do desenho do orçamento para 2020, quando se estimava que no pior dos cenários se chegaria a abril com um mínimo de 182,7 mil voos controlados.

Apesar do anúncio da retoma de algumas ligações aéreas a partir de meados deste mês, certo é que ainda é difícil antever algum regresso à normalidade na evolução do tráfego aéreo, pelo que continua expectável que os números persistam em queda significativa nos próximos meses.

O total de voos geridos pela NAV, ou “movimentos”, inclui não apenas os voos com origem/destino em aeroportos portugueses, mas também aqueles que sobrevoam o espaço aéreo sob responsabilidade portuguesa – que totaliza mais de 5,8 milhões km2.