Sociedade

DGS reforça declarações da OMS sobre desinfecção de ruas: "Não terá grande eficácia sob o vírus"

“Como alguns dos produtos podem ter efeitos negativos no ambiente e na saúde das pessoas, a DGS não a recomenda”.

Graça-Freitas, diretora-geral da Saúde, mostrou, este domingo, estar de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS) quanto à desinfecção de ruas. De acordo com a responsável da Direção-Geral da Saúde (DGS), a  utilização de produtos específicos para eliminar o vírus de grandes superfícies, como ruas, não é recomendada porque não é eficaz e tem efeitos negativos na saúde das pessoas e no ambiente.

"Não está provado que seja eficaz utilizar desinfetantes em grandes superfícies, como ruas, mas pelo contrário não terá grande eficácia sob o vírus. Aliás, numa grande superfície, como estradas, ruas ou passeios, a probabilidade de lá existir este tipo de vírus é pequena, dado o tipo de transmissão que, teria, de passar de uma pessoa infetada para o solo", disse Graça Freitas, em conferência de imprensa.

“Como alguns dos produtos podem ter efeitos negativos no ambiente e na saúde das pessoas, a DGS não a recomenda”, acrescentou.

Contudo, algo diferente, são as medidas de higienização habituais das autarquia. “Diferente disso são as medidas de limpeza habituais das autarquias. Contra a higienização da via pública, obviamente não temos nada contra”, explicou, acrescentando ainda que, já a desinfeção de superfícies, como mesas, armários ou equipamentos, onde o vírus possa existir em grandes quantidades, é indicada e não tem efeitos contraindicados.

Recorde-se que este sábado, a OMS alertou que pulverizar ou fumigar desinfetante nas ruas, como alguns países estão a fazer para combater a pandemia de covid-19, não elimina o vírus e coloca riscos sanitários.