Politica

Marcelo diz que regras têm de valer para todos e manda recado ao PCP sobre Festa do Avante

O que se disser vale para A, para B, para C”, defendeu o chefe de Estado, à margem de uma visita a um mercado na Ericeira.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou ontem que a Festa do Avante!, a tradicional rentrée política do PCP, não pode ser comparada ao 25 de Abril, ao 1.º de Maio ou mesmo ao 10 de Junho. “Do que se trata é de as autoridades sanitárias, em função da situação sanitária vivida num determinado momento, dizerem o que é possível e não é possível fazer. Tem de valer para todos. O que se disser vale para A, para B, para C”, defendeu o chefe de Estado, à margem de uma visita a um mercado na Ericeira.

Sinalizando as diferenças, o Presidente recordou que “o 25 de Abril foi celebrado simbolicamente, o 10 de Junho será comemorado simbolicamente e,como sabem, o meu pensamento para o 1.º de Maio era uma celebração simbólica”. Por isso, Marcelo argumentou que não é favorável a exceções nesta matéria: “Outra coisa completamente diferente são atuações, atividades, celebrações de partidos, organizações sociais, organizações políticas ou da sociedade civil”.

O PCP já lembrou que a Festa do Avante! “não é um simples festival de música, é uma grande realização político-cultural que se realiza desde 1976”.