Internacional

Desde 1993 que não morriam tantas pessoas num só mês na Suécia

Só em abril deste ano foi registado um total de 10.458 mortes no país.

A Suécia, ao contrário da maior parte de outros países europeus, optou por não impor regras de confinamento tão rígidas no combate à pandemia. Contudo, as últimas conclusões do instituto de estatística do país revelam que a covid-19 fez disparar drasticamente o número de mortes. Só no mês de abril morreram mais suecos do que em qualquer outro mês desde 1993.

Embora os óbitos registados neste mês não sejam todos devido à covid-19, os dados mostram que as vítimas mortais da pandemia aumentaram substancialmente este número. De acordo com os últimos dados do país, desde o inicio do surto, já morreram cerca de 3700 pessoas devido à covid-19 no país.

Só em abril deste ano foi registado um total de 10.458 mortes. Um número superado apenas em 1993, quando no mês de dezembro desse ano se registaram 11.057 óbitos. Números que se podem justificar desde esse ano, e até janeiro de 2000, com a pandemia da gripe comum, que contribuiu para um elevado número de óbitos na Suécia.

Só em 1993 morreram 97.008 pessoas - o ano mais mortífero desde a pandemia da gripe espanhola de 1918.

Em janeiro de 2000 morreram menos pessoas em relação a abril deste ano. Contudo, é um mês que se destaca por ter uma taxa de letalidade superior. Nesse mês, morreram 110,8 pessoas por 100 mil habitantes, enquanto, no mês passado, esse número ficou nas 101,1 pessoas por 100 mil habitantes.