Sociedade

Visitas aos reclusos para ser retomadas em junho

O sindicato dos guardas prisionais mostrou-se preocupado com a proteção dos profissionais e pediu esclarecimentos sobre os moldes como se vão realizar.

Os reclusos e os jovens internados em centros educativos deverão recomeçar a receber as visitas de familiares durante o mês de junho.

Em resposta à agência Lusa, o Ministério da Justiça adianta que está previsto que as visitas "se reiniciem no decurso do mês de junho", estando em curso um trabalho de preparação com a Direção-Geral da Saúde.

O sindicato dos guardas prisionais mostrou-se hoje preocupado com a proteção dos profissionais quando forem retomadas as visitas dos familiares aos presos, suspensas devido à pandemia, e pediu esclarecimentos sobre os moldes como se vão realizar, numa carta aberta enviada ao primeiro-ministro.

Refere o ministério que o regresso de visitantes aos estabelecimentos prisionais e aos centros educativos depende do cumprimento integral das orientações da saúde pública "no sentido de se continuar, como foi conseguido até ao momento, a proteger a população reclusa e os jovens internados em centros educativos do contágio" pelo novo coronavírus.

As visitas aos detidos estão proibidas desde março, sendo sendo permitida a realização de três chamadas telefónicas diárias com a duração de cinco minutos cada.

O Governo aprovou em 11 de abril o regime excecional de libertação de presos que permitiu libertar 1.918 reclusos, segundo os últimos dados da Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais.