Sociedade

Governo faz "avaliação muito positiva" da primeira quinzena da situação de calamidade

"O balanço da primeira quinzena da situação de calamidade e dos primeiros dois dias do segundo período merecem uma avaliação muito positiva", disse Eduardo Cabrita.

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, disse, esta terça-feira, que a primeira quinzena da situação de calamidade, decretada pelo Governo devido à covid-19, decorreu de forma "muito positiva".

“O balanço da primeira quinzena da situação de calamidade e dos primeiros dois dias do segundo período merecem uma avaliação muito positiva", disse Eduardo Cabrita, após uma reunião da Estrutura de Monitorização da Situação de Calamidade.

O governante relembrou ainda que nestes 15 dias foram feitos 83.000 testes à covid-19 em lares e 26 mil testes a trabalhadores das creches, com o número de casos positivos nestes profissionais a rondar os 0,3%.

Eduardo Cabrita destacou que a população aderiu à regra de limite de circulação, teve respeito pelo distanciamento social e pelo uso de equipamentos de proteção, o que permitiu uma "evolução positiva dos dados da situação epidemiológica" e que agora é preciso “consolidar” todos os passos que já foram dados.

Até domingo, dia em que terminou a primeira quinzena da situação de calamidade, houve 61 casos de sanções por falta de máscara nos transportes públicos, 1.800 casos de chamadas de atenção em serviços públicos ou estabelecimentos comerciais e 24 detenções. Estes dados, diz o ministro, mostram que os portugueses "acataram" as novas regras.

O grupo de monitorização, que é coordenado pelo ministro, junta representantes das forças e serviços de segurança, da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, e ainda uma dezena de secretários de Estado.