Economia

CTP. Aeroporto do Montijo deve ser retomado com a maior brevidade

O presidente da CTP afirmou que, apesar da pandemia, “os pressupostos que estavam na origem da decisão de avançar mantêm-se” e, por isso, a infraestrutura não deixou de ter o seu “irrefutável benefício” para a economia.

O Conselho Diretivo da Confederação do Turismo de Portugal (CTP) defendeu hoje que, face ao impacto da covid-19, o projeto do aeroporto complementar do Montijo deverá ser retomado “com a maior brevidade”, assegurando a recuperação económica do país.

“No seguimento da avaliação da atual situação e desafios futuros colocados pela covid-19, o conselho diretivo da Confederação do Turismo de Portugal (CTP) considera que a recuperação económica do país depende do aumento da sua capacidade aeroportuária. Nesse sentido, o projeto do aeroporto complementar do Montijo deverá ser retomado com a maior brevidade”, indicou, em comunicado, esta confederação.

Para a CTP, o aumento da capacidade aeroportuária de Lisboa vai permitir um crescimento de até 50 milhões de passageiros, potenciando também o ‘hub’ da TAP à América do Norte e do Sul, assim como a proximidade aos países da diáspora portuguesa.

No documento, a confederação do turismo lembrou que, em janeiro, a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) emitiu a sua declaração de impacte ambiental final, dando “luz verde” à construção do aeroporto complementar do Montijo (distrito de Setúbal).

O presidente da CTP afirmou que, apesar da pandemia, “os pressupostos que estavam na origem da decisão de avançar mantêm-se” e, por isso, a infraestrutura não deixou de ter o seu “irrefutável benefício” para a economia.

“Este é o momento de avançar para a única solução que responde em termos de custos, eficácia e competitividade a um problema que se arrasta há mais de 50 anos e não o de recuperar outras opções de localização que já foram amplamente discutidas e abandonadas”, afirmou Francisco Calheiros.

Em 08 de janeiro de 2019, a ANA e o Estado assinaram o acordo para a expansão da capacidade aeroportuária de Lisboa, com um investimento de 1,15 mil milhões de euros até 2028 para aumentar o atual aeroporto de Lisboa e transformar a base aérea do Montijo num novo aeroporto.