Sociedade

Notas dos alunos vão ser auditadas pelo Ministério da Educação

Objetivo é travar inflação das notas. Ministro garante que haverá lugar a processos disciplinares sempre que se justificar.

A Inspeção-Geral da Educação vai auditar as avaliações dos alunos para travar a inflação das notas, no contexto da pandemia de covid-19. A informação foi avançada pelo ministro da Educação.

Tiago Brandão Rodrigues, em entrevista ao Público, garantiu ainda que haverá processos disciplinares sempre que se justifique.

"As notas do 1.º e do 2.º período serão analisadas para ver como comparam com os resultados finais. Haverá auditorias aos critérios de avaliação. A Inspeção-Geral da Educação terá de mobilizar mais inspetores para esta tarefa. É que nesta altura o problema da inflação artificial de notas, que já existia em algumas escolas, pode ter consequências ainda mais graves na equidade do concurso de acesso ao superior", afirmou.

"Seria muito danoso para o sistema se oportunisticamente alguém pudesse tirar partido das circunstâncias" excecionais, adotadas em contexto do surto do novo coronavírus, acrescentou.

Para Tiago Brandão Rodrigues é importante não colocar em causa a credibilidade da avaliação. “Já dei instruções claras à IGEC para alargar a sua ação, mobilizando mais inspetores e abrangendo mais escolas neste trabalho sistemático - para que também nas disciplinas que não são sujeitas a avaliação externa haver este trabalho", adiantou.

"Por outro lado, (serão também auditados) registos claros de avaliação dos 1.º e 2.º períodos de cada um dos alunos para entendermos exatamente (o que se passa). Esta análise vai levar necessariamente a ações disciplinares ou a recomendações, se for necessário”, afiançou. “O mais importante, é que tudo isto tenha um efeito regulador, também de reflexão para o sistema, mas acima tudo que seja dissuasor”, esclareceu.