Cultura

J.K. Rowling confessa que Livraria Lello não inspirou Harry Potter

A autora dos famosos livros de fantasia desmascarou este mito que se perpetuou durante anos e que tinha vindo a servir como um dos principais apelos para a popularização da livraria.

A escritora inglesa J.K. Rowlings, autora dos famosos livros de Harry Potter, revelou no seu Twitter que nunca visitou a livraria Lello, no Porto, cidade para onde se mudou aos 25 anos, em 1991, para trabalhar como professora de inglês na Universidade do Porto e onde começou a escrever os primeiros capítulos da história do feiticeiro.

"Estava a pensar em colocar uma secção no meu site sobre todas as supostas inspirações e locais de nascimento de Potter", começou por explicar.

"Nunca visitei a livraria no Porto. Nem sabia que ela existia! É linda e quem me dera tê-la visitado, mas não tem nada a ver com Hogwarts", escreveu na sua conta pessoal.

 

For instance, I never visited this bookshop in Oporto. Never even knew of its existence! It’s beautiful and I wish I *had* visited it, but it has nothing to do with Hogwarts! pic.twitter.com/f83rxBeeyY

— J.K. Rowling (@jk_rowling) May 21, 2020

 

A revelação surpreendeu os fãs, uma vez que, tal como é apontado pelo DN, muitos deles visitaram a livraria, convencidos que de esta inspirou partes da história - como as famosas escadas que dão acesso aos dormitórios em Hogwarts e que são parecidas com as da livraria do Porto", e muito outros utilizadores queixaram-se, citando o site português Magazine HD, do "preço do bilhete e com a Livraria Lello por, supostamente, se aproveitar do livro de Hermione e Harry para lucrarem".

De relembrar, que apesar de a autora afirmar que nunca entrou na livraria, a Lello serviu como palco da estreia mundial do último livro da saga, Harry Potter & The Cursed Child.