Sociedade

Depois de 70 casos confirmados, Sonae garante que empresa segue todas as orientações da DGS

Mário Durval, Delegado de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, afirma que "existem trabalhadores que se contagiaram no seu local de origem.

Depois de terem sido confirmados 70 casos no Entreposto da Sonae na Azambuja, a empresa enviou um comunicado às redações onde esclareceu o plano de contingência da empresa que está em vigor há mais de 2 meses e que se encontra "totalmente alinhado com todas as recomendações das autoridades de saúde e atestado pela Direção Geral de Saúde" e que é seguro trabalhar no Entroposto, que conta com cerca de 800 colaboradores, pode ler-se na nota. 

Algumas das medidas impostas pela Sonae foi o reforço do serviço de autocarros próprios, de modo a garantir um maior distanciamento social entre os colaboradores e também um reforço da higienização na empresa. Foi também implementado um programa de sensibilização sobre a covid-19, de modo a esclarecer as dúvidas dos funcionários e garantir que estes seguem as normas da DGS e todos os trabalhadores da empresa cuja função é possível estão a trabalhar a partir de casa. 

Os horários dos turnos foram desfasados para evitar concentrações de colaboradores nas entradas e saídas, a temperatura dos funcionários está a ser testada antes de darem entrada na empresa e foram disponibilizadas luvas e máscaras para todos os colaboradores. Também os funcionários da empresa que façam parte de grupos de riscos (>60 anos; grávidas, doenças crónicas e imunodeprimidos) ficam em casa preventivamente.

Mário Durval, Delegado de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, afirma, citado pela TSF, que "existem trabalhadores que se contagiaram no seu local de origem. Pela essência do trabalho, não há qualquer risco de contágio entre os trabalhadores do Entreposto da Azambuja, nem nas áreas sociais da empresa, dado o plano de contingência já implementado há meses".

Recorde-se que a Sonae não é a primeira empresa na Azambuja a sofrer um surto de covid-19. Na Avipronto, empresa de produtos alimentares, mantém-se o mesmo número de casos, com 129 infetados.