Internacional

Condenação à morte por Zoom está a gerar polémica em Singapura

“Um homem que enfrenta a pena capital deveria ter o direito de estar presente no tribunal e ver os seus acusadores”, disse Phil Robertson, dirigente da Human Rights Watch.

A condenação à morte de Punithan Genasan, um malaio de 37 anos, via videoconferência, através da aplicação Zoom, tem sido duramente criticada em Singapura.

“Um homem que enfrenta a pena capital deveria ter o direito de estar presente no tribunal e ver os seus acusadores”, disse Phil Robertson, dirigente da Human Rights Watch. O crime de Genasan? Traficar mais de 28,5 gramas de heroína.