Sociedade

Covid-19. Lisboa continua a ser o ‘foco principal de trabalho por estes dias’

O maior aumento no número de casos continua a ser na região de Lisboa e Vale do Tejo. Só numa empresa na Azambuja registaram-se 109 pessoas infetadas. 

Lisboa e Vale do Toje continua a ser a região onde o número de casos tende a ser mais elevado. Nos últimos dias, verificou-se a tendência crescente e, segundo os dados apresentados este domingo pela tutela, na região de Lisboa e Vale do Tejo foram registados mais 131 novos casos de infeção. No Algarve e Alentejo não se confirmou qualquer caso, na região Norte foram contabilizados 14 novos casos e no Centro apenas sete. Marta Temido, ministra da Saúde, referiu que a região de Lisboa e Vale do Tejo continua a ser o “foco principal de trabalho por estes dias”. O boletim deste domingo revelava a morte de 14 pessoas e mais 152 casos de infeção – uma subida de 0,5% em relação ao dia anterior. 

A diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, falou sobre os trabalhadores da Azambuja, onde se registou um elevado número de casos positivos – só no centro de distribuição da Sonae foram identificadas 109 pessoas infetadas. Graça Freitas adiantou que estão todos bem, existindo apenas um internado que se encontra estável. 

“Os intervalos de trabalho fazem parte do período normal de trabalho e quando referimos descontração não é desresponsabilização das entidades que coordenam o local de trabalho”, explicou Marta Temido, acrescentando que “o que vai ser feito ao longo da semana é o contacto com todas estas entidades, porque temos a perceção de que estamos a falar de um cenário complexo”. 

Esta declaração surgiu, aliás, depois de a ministra da Saúde ter afirmado no sábado, em relação à situação especifica da Azambuja que esta advém de “algum relaxamento e descontração [dos trabalhadores] durante as pausas para almoço, de mudas de roupa e até ao facto de utilizarem meios de transporte que, não sendo públicos, são coletivos e onde há algum alívio das cautelas que têm de ser consideradas”. 

Chegam a portugal mais 60 ventiladores Das encomendas feitas pelo Sistema Nacional de Saúde (SNS), vão chegar mais 60 ventiladores para equipar as unidades de cuidados intensivos. Durante a conferência diária, Marta Temido referiu que nenhum equipamento é utilizado sem ser testado, já que foram encontrados erros em alguns ventiladores. “Como em ambiente normal se encontram falhas, que muitas vezes correspondem a situações que são corrigidas e ultrapassadas, também aqui se têm verificado, com equipamentos ou outras encomendas, situações problemáticas”, explicou a ministra, acrescentando que o “processo de dupla, tripla conferência de verificação permite sempre que nenhum ventilador seja usado sem ter as devidas condições”. 

Jogos com espetadores? Impossível Durante a mesma conferência, Marta Temido voltou à questão do futebol. Um campeonato sem espetadores – é assim que vai ser e não há hipótese de ser de outra forma. “Por ocasião de competições desportivas, haver concentrações em determinados espaços, é evidente que não isso vai poder acontecer da forma como estávamos habituados”, disse a ministra responsável pela pasta da Saúde. 
Ainda faltam dez jornadas para terminar o campeonato da I Liga e as últimas jornadas vão decorrer à porta fechada entre 3 de junho e 26 de julho.