Politica

Mais jovens infetados em Lisboa e Vale do Tejo? Marcelo lembra que se devem comportar tendo em conta "o risco social dos outros"

Chefe de Estado disse que mais jovens devem pensar que "têm avós, têm pais e têm tios".

A região de Lisboa e Vale do Tejo tem registado nos últimos dias um aumento do número de casos de infeção por covid-19. Esta tem sido a região onde se têm registado a maior parte dos casos confirmados diariamente em todo o país. Esta sexta-feira, e depois de a DGS confirmar que os jovens e as classes mais desfavorecidas são os mais afetados, o Presidente da República lembra que os jovens são o grupo etário com menor risco, mas que precisam de pensar nos seus familiares.

As declarações de Marcelo Rebelo de Sousa surgiram durante a visita à livraria Barata em Lisboa, depois de ter passado a noite num hotel de três estrelas.

O chefe de Estado reiterou que não existe "uma situação descontrolada" na região que "justifique alarme social", mas assinalou que os números disponíveis retratam sempre o que se passava há 15 dias e não o cenário atual.

Depois de admitir que os jovens são a faixa etária que têm mais tendência a conviver, a mais "efusiva", o Presidente disse que estes devem pensar que "têm avós, têm pais e têm tios" e comportar-se tendo em conta "o risco social dos outros".

Já sobre a sua experiência pessoal no hotel, Marcelo disse que as condições são “muito estritas”.

"Esta noite que passou passei-a num hotel, para verificar as condições de higiene do hotel", começou por dizer.

"E achei que as condições são muito estritas. É um hotel que nunca fechou. São muito estritas. Tudo é desinfetado: a mala, a pasta, o computador. Há uma desinfeção de quem entra, há uma desinfeção permanente dos quartos. Mas tem de ser assim", acrescentou.

O Presidente da República revelou ainda que está a realizar testes de despiste à covid-19 “de 15 em 15 dias, para garantir que não há risco”, nem para si, nem para os seus colaboradores.