Economia

É assim que os holandeses nos veem? No norte da Europa trabalha-se, no sul fica-se na esplanada a beber vinho

"Nem mais um cêntimo para os países da Europa do sul", lê-se na capa que é ilustrada com um cartoon que representa o estereótipo entre os países do norte e os países do sul da Europa. 

As pequenas ‘picardias’ entre a Holanda e alguns países do sul da Europa parecem estar longe de acabar. Desta vez, a revista conservadora daquele país 'Elsevier Weekblad' ilustra a capa desta quinta-feira com um cartoon que está a dar que falar.

"Nem mais um cêntimo para os países da Europa do sul", lê-se na capa que é ilustrada com um cartoon que representa o estereótipo entre os países do norte e os países do sul da Europa. 

No cartoon em questão, a parte superior é composta por trabalhadores, vestidos a rigor, que representam os países do norte da Europa. Na parte inferior, e em representação dos países do sul, surge um homem sentado, com os braços atrás da cabeça e junto de um copo de vinho, e uma mulher me biquíni a mexer no telemóvel. Uma imagem que pode ser interpretada pela ideia de que enquanto uns trabalham, outros estão de braços cruzados.

A crítica em forma de caricatura surge depois de a Comissão Europeia ter anunciado, esta quarta-feira, um Fundo de Recuperação económica de 750 mil milhões de euros para responder à crise causada pela pandemia da covid-19. A publicação critica ainda Emmanuel Macron e Angela Merkel que, na semana passada, propuseram 500 mil milhões em apoios para recuperação pós-covid-19 dos países mais afetados, sobretudo os do sul. 

“O Fundo pretende ser uma doação incondicional aos países mais afetados economicamente pelos bloqueios do coronavírus. A proposta da chanceler alemã e do presidente francês significa uma transferência de dinheiro do Norte para o Sul da Europa”, pode ler-se no artigo que acompanha a capa da Elsevier Weekblad.

Em reação à referida capa, o eurodeputado do Bloco de Esquerda José Gusmão decidiu partilhar um gráfico que mostra a média do número de horas que cada país trabalha semanalmente. A Grécia surge no topo do gráfico, Portugal em segundo lugar e Espanha em terceiro, acima da média europeia. 

"Nada contra os holandeses. Tudo contra racistas. Outro cartoon possível seria a imagem da direita", escreveu.

 

Capa de uma revista conservadora holandesa: “Nem mais um cêntimo para a Europa do Sul!”. Nada contra os holandeses. Tudo contra racistas. Outro cartoon possível seria a imagem da direita.

Publicado por José Gusmão em Quinta-feira, 28 de maio de 2020