Politica

Marcelo diz nada ter a apontar ao Governo nesta fase

Para Marcelo “têm de ser tomadas medidas arriscando, partindo do princípio de que vai haver uma certa dimensão no apoio e no financiamento europeu”. 

 O Presidente da República garantiu não ter “nada a apontar” ao Governo, nesta fase, reconhecendo a dificuldade de tomar medidas antes de estar aprovada a decisão europeia que permitirá saber “o dinheiro com que se conta”. 

Para Marcelo “têm de ser tomadas medidas arriscando, partindo do princípio de que vai haver uma certa dimensão no apoio e no financiamento europeu”. 

O chefe de Estado reconheceu que o Governo “não pode esperar muito mais”, sob o risco de não responder a situações urgentes, “porque as pessoas no dia-a-dia estão a ter problemas de emprego e a ter problemas de salário, e os empresários estão a ter problemas de arranque das suas empresas”.

“Isto é difícil porque é completamente diferente saber o dinheiro com que se conta e não se saber. Tem-se uma ideia da dimensão, mas pode ser mais ou menos. Portanto o Orçamento Suplementar vai ser apresentado e discutido muito possivelmente antes da decisão europeia. O plano de estabilização hoje aprovado em Conselho de Ministros avança antes do conhecimento da última decisão europeia”, realçou.